Ciclo de palestras Unidade da Arte Contra a Copa do Mundo – quinto encontro, dia 04/07


O ciclo de palestras Unidade da Arte Contra a Copa do Mundo chega ao seu quinto encontro nessa próxima sexta-feira 04/07 às 15:00 e voltará a ocorrer na Sala de Cultura localizada na Avenida Paulista, 925, décimo andar, sala 102. Como não será feriado, não haverá a necessidade de fazermos as senhas para a entrada e assim o procedimento é mais simples, basta dizer que irá subir na sala 102 que eles interfonam para pedir autorização. Lembramos que apesar disso é importante chegar uma hora antes do evento porque as vagas ainda são limitadas. Também pedimos que ao chegar não esperem na entrada prédio para evitar o acúmulo de pessoas na portaria.

A programação desse quinto encontro será a seguinte:

14:00 – chegada dos participantes

15:00 – A Contemplação da Harmonia das Esferas: uma análise do passo 34 no diálogo “Timeu” de Platão (quinta de sete palestras)

16:30 – Intervalo

17:00 – Música e Simetria

18:30 – Intervalo

19:00 – Análise do Filme “Excalibur”, de John Boorman (quinta de sete palestras)

21:00: Término do evento

Mais uma vez faremos a transmissão do encontro pelo Hangouts.

Aqui estão os folders das palestras desse quinto encontro:

harmonia das esferas

A Unidade da Arte na Filosofia Grega (curso dividido em 7 palestras) A Contemplação da Harmonia das Esferas: uma análise do passo 34 no diálogo ‘Timeu’ de Platão – Silvio Moreira e Ciro Visconti

Neste quinto encontro será dado continuidade ao curso sobre o passo 34 do diálogo ‘Timeu’ de Platão, que apresenta um resumo de nossos últimos 15 anos de pesquisa em teoria da harmonia e artes liberais. O que trabalhamos deste diálogo de Platão não se reduz à prática musical, menos ainda a uma teoria da afinação. Trabalhamos com a hipótese de que o conhecimento construído pelo programa da paidéia pressupõe que a magnitude de suas operações depende da devida articulação dos procedimentos fundamentais da compreensão, aqueles que se identificam por serem livres de qualquer finalidade. Estas artes, por não servirem a nenhum fim para além de seus respectivos exercícios, foram chamadas ‘liberais’, em oposição às servís, em que se configuram as técnicas aplicadas. As artes liberais permitiriam em sua devida articulação a operação articulada da própria totalidade a partir de seus fundamentos. Por essa razão também não consideramos que possam ser reduzidas a disciplinas apenas, menos ainda a disciplinas introdutórias para o ingresso nos patamares superiores da razão, como se compreendeu na Idade Média. Nosso objetivo é oferecer uma vivência sobre o texto de Platão em que cada uma das artes liberais é exercida, ao passo que se interpenetram e entrelaçam a unidade do real.

musica simetria

 

Música e Simetria – Ciro Visconti

A simetria é extremamente presente nas estruturas musicais. Ela pauta a relação entre as três notas mais importantes de uma escala diatônica (Tônica, Dominante e Subdominante), a inversão dos dois acordes básicos da música ocidental (maior e o menor), o espelhamento dos modos eclesiásticos, a estrutura dos acordes aumentados e diminutos, a formação de modos de transposição limitada, entre outras estruturas. Ela também está presente em diversas camadas da composição musical em praticamente todos os períodos da história da música e pode ser verificada nos procedimentos contrapontísticos modais da Renascença ou tonais do estilo de Bach, nas relações entre as partes nas formas dos movimentos da Sonata Clássica, nas séries espelhadas dos compositores da segunda escola de Viena, na exploração da digitação instrumental feita por Villa-Lobos, etc. Ao observar essa variedade de procedimentos verifica-se que a  simetria é operada de diversas maneiras na composição musical. O matemático alemão Hermann Weyl em seu livro Symmetry (Princeton U. Press, 1952) faz uma profunda reflexão sobre o assunto com o objetivo de dar uma fundamentação matemática e filosófica à simetria. No decorrer dessa reflexão ele fala de diversos tipos como a simetria bilateral, a translacional, a rotacional e a cristalográfica. Outros autores depois de Weyl, como o brasileiro Geraldo Rohde em Simetria (Hemus, 1982) e Simetria: Rigor e imaginação (Edipucrs, 1997), investigaram o assunto e descreveram detalhadamente as diversas operações de simetria. Contudo, a maioria dos exemplos desses autores são no campo da geometria e mesmo que procurem demonstrar as operações de simetria na arte, se limitam a obras de pintura e escultura. Na palestra Música e Simetria serão demonstradas algumas das operações de simetria descritas por Weyl e Rohde e suas aplicações em exemplos musicais em obras de Bach, Villa-Lobos e Chico Buarque.

excalibur

A Unidade da Arte no Cinema Inglês (curso dividido em 7 palestras) Análise do Filme “Excalibur”, de John Boorman – Silvio Moreira

Neste quinto encontro será retomada a análise do filme ‘Excalibur’, de John Boorman, centro conceitual da trilogia limitada por ‘Zardoz’ e ‘Floresta de Esmeralda’, realizado em 1981, com adaptação de Rospo Pallenberg para a obra do renascentista Thomas Malory (1414–1471) “Le Morte d’Arthur”, consultoria de Neil Jordan e música de Trevor Jones, com excertos de obras de Richard Wagner e Carl Orff, vencedor do prêmio de Melhor Contribuição Artística no Festival de Cannes. Assim como na música popular, o processo industrial da manufatura cinematográfica, seu apelo às e seu assédio pelas massas também serviu para atenuar a expectativa com o que nele pode se operar. Assim como nas atividades deste dia, pretendemos indicar o caminho que revela a amplitude de relações que se operam por esta obra, sem que nada representem ou designem, expressem ou comuniquem para além dela mesma, entrelaçando na unidade do mundo que abre trama e imagem, proporção e narrativa, harmonia e enredo, na unidade temática que somente uma obra de arte pode constituir. Necessário já haver assistido o filme antes do evento.

Mais informações em:

https://cirovisconti.wordpress.com/2014/05/21/palestras-gratuitas-durante-os-jogos-do-brasil-na-copa-da-fifa/

https://cirovisconti.wordpress.com/2014/06/06/a-unidade-da-arte-contra-a-copa-do-mundo/

https://cirovisconti.wordpress.com/2014/06/11/ciclo-de-palestras-a-unidade-da-arte-contra-a-copa-primeiro-encontro-dia-120614/

https://cirovisconti.wordpress.com/2014/06/15/ciclo-de-palestras-a-unidade-da-arte-contra-a-copa-segundo-encontro-dia-170614/

https://cirovisconti.wordpress.com/2014/06/21/ciclo-de-palestras-a-unidade-da-arte-contra-a-copa-terceiro-encontro-dia-230614/

https://cirovisconti.wordpress.com/2014/06/24/ciclo-de-palestras-a-unidade-da-arte-contra-a-copa-terceiro-encontro-dia-230614-2/

 

 

 

About cirovisconti

Guitarrista do Diafanes, professor do Conservatório Souza lima e colaborador da Revista Guitar Player myspace.com/cirovisconti myspace.co
This entry was posted in Bate papo musical, Divulgação, Estética musical. Bookmark the permalink.

2 Responses to Ciclo de palestras Unidade da Arte Contra a Copa do Mundo – quinto encontro, dia 04/07

  1. Pingback: Ciclo de palestras Unidade da Arte Contra a Copa do Mundo – sexto encontro, dia 08/07 | Ciro Visconti's Blog

  2. Pingback: Ciclo de palestras Unidade da Arte Contra a Copa do Mundo – sétimo encontro, dia 13/07 (final da copa) | Ciro Visconti's Blog

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s