Diário de gravação (parte 25)


26 de março de 2012.

Hoje a sessão de gravação começou com um convidado especial, o Adriano Busko que fez sua participação tocando Udu (ou Moringa) em “Padma”. Para quem não conhece, o Udu é um instrumento de percussão semelhante a um vaso de cerâmica. Eu conheci o Adriano há mais de dez anos, quando gravamos juntos o disco da cantora Ela Kobhiaco, desde então, eu tinha vontade de fazer novos trabalhos com ele.

Desde o começo, quando compus essa música, pensei no som desse instrumento. Inclusive, na pré-produção, eu descolei um sampler que fazia um looping de Udu, para que tivéssemos uma idéia de como seria a sonoridade da música.

Quando cheguei ao Nimbus, o San e o Adriano já haviam passado o som do Udu, e logo de cara percebi que o timbre iria casar muito bem com a música. “Padma” tem uma sonoridade oriental, principalmente influênciada pela música da Índia, e o timbre natural de uma percussão era muito necessário.

O Adriano fez uns três takes da música inteira, e nós já percebemos que ele tinha mudado completamente as linhas do sampler da pré-produção, adicionando notas mais agudas e deslocando os acentos das mais graves. Além disso, ele utilizou diversas variações de ritmos de fusa, e assim ele deixou a sonoridade oriental da música muito mais acentuada.

Nós ouvimos os três takes, e resolvemos refazer a segunda parte da música e a levada do solo de guitarra. Na segunda parte, ele fez uma levada incrível, usando bem mais as notas agudas do Udu. A base do solo foi a parte mais difícil, na verdade, originalmente, não haveria percussão ali, mas em um dos primeiros takes o Adriano acabou tocando nessa parte, todos nós adoramos, então seguimos em frente com a idéia. E valeu a pena, “Padma” ganhou muita vida com o som desse instrumento! Agradecemos muito ao Adriano, que além de ser um músico excepcional, é um cara super legal! Foi muito boa a participação dele!

Em seguida, foi a vez da Luma gravar sua voz em “Penas”. Infelizmente eu não pude acompanhar essa parte da sessão, pois tive de ir dar aula. Contudo, nessa mesma noite eu ouvi o que foi gravado e realmente gostei muito. O final de “Penas” tem um clima completamente diferente do resto da música, que de uma balada acaba ganhando uma levada suingada de funk. A melodia dessa parte é muito rápida, e a prosódia é um inferno, com uma sequência de palavras que enrola a lingua de qualquer um. Uma coisa que eu achei muito legal, é que essa música é uma composição da Lorena, e ela escreveu essa parte para a Luma cantar. Acertou a mão em cheio, pois a voz dela combinou muito com a melodia. Por hoje foi só, agora só falta mais uma sessão.

About cirovisconti

Guitarrista do Diafanes, professor do Conservatório Souza lima e colaborador da Revista Guitar Player myspace.com/cirovisconti myspace.co
This entry was posted in Bate papo musical, Diafanes, Diário de gravação - 2012, Equipamentos. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s