Diário de gravação (parte 5)


23 de Fevereiro de 2012.

Acordei e cheguei no estúdio muito cedo hoje, e já encontrei a Lorena, o San e o Leandro trabalhando (muito cruel trabalhar tão cedo). Hoje foi o início das gravações de baixo, e a má notícia é que o Leandro estava com um enorme corte no dedo médio da mão esquerda (fruto do excesso de estudo nos dias anteriores). Ele foi contornando essa situação colocando superbonder com uma seringa para fechar o corte (juro por Deus que isso é verdade!).

Depois de mais ou menos duas horas passando o som, experimentando timbres, etc, o Leandro começou a gravar a música nova de Koto (precisamos dar um título logo para essa música, ao menos para evitar confusões semânticas). O linha de baixo que o Leandro fez para essa música tem diversas melodias que imitam por aumentaçào as linhas do koto e da guitarra, e o resultado ficou excelente.

Em seguida, depois de umas doses de superbonder, foi a vez de “Musk”. Grande parte do clima árabe dessa música se deve as melodias dobradas de baixo e guitarra com a escala octatônica (também conhecida como escala diminuta). Esses riffs são bem rápidos e foram necessários alguns takes para que soassem precisos. Tudo em nome do capricho! Mas o esforço valeu a pena, pois no final o baixo ficou com um baita timbre e com execução perfeita.

A música seguinte foi “Ave”. O Leandro e o San chegaram a conclusão que seria melhor gravar com uma caixa com um falante de 15’, ao invés com a de quatro falantes de 10’ (que foi usada para gravar as duas primeiras músicas). A troca foi providencial pois o timbre ficou bem mais encorpado, o que foi perfeito para fazer a linha de baião que ele toca nessa música. Ele gravou essa música em praticamente um take, mas daí o corte que ele já tinha no dedo abriu de vez e nem o superbonder mais dava resultado. Foi impossível prosseguir, mas o resultado das gravações de hoje já era extremamente positivo!

Depois disso, fizemos uma rápida reunião e decidimos que seria melhor adiar as gravações de baixo para que o dedo do Leandro possa cicatrizar, e com isso as minhas sessões foram adiantadas. Isso quer dizer que já começo a gravar amanhã pela manhã, mas poderei apenas gravar as músicas que já tem baixo. Isso muda um pouco a lojística que tínhamos planejado, mas não será um grande problema. Em todo caso, boa sorte para mim!

Leandro De César - 23/02/2012

Leandro De César - 23/02/2012

Leandro De César - 23/02/2012

About cirovisconti

Guitarrista do Diafanes, professor do Conservatório Souza lima e colaborador da Revista Guitar Player myspace.com/cirovisconti myspace.co
This entry was posted in Bate papo musical, Diafanes, Diário de gravação - 2012, Equipamentos. Bookmark the permalink.

2 Responses to Diário de gravação (parte 5)

  1. mauricio says:

    Maravilha!!! Esse albúm vai ficar uma pérola! Parabéns ao Leandro pelo esforço e uma boa recuperação! E para vc Ciro, muito boa sorte nas suas partes!

  2. Fernando Mattedi says:

    Olá Ciro… estou acompanhando os posts diários da gravação do álbum… tive a felicidade de estar nos shows de lançamento dos dois primeiros – no Blackmore e no Sesc perto do Ibirapuera (acho que era lá, não lembro exatamente)- e espero estar no lançamento deste também, se for no Brasil (!) .
    Achei intrigante, no texto do segundo dia, o ensaio sobre Zuckerkandl (de quem eu nunca tinha ouvido falar), e como você associou-o ao processo evolutivo das composições do álbum . E, na medida que fui lendo o texto do quarto dia avaliando a evolução das composições e da própria banda, e de suas mudanças e “não-mudanças”, tive a sensação que você iria novamente relacionar com a proposição de Zuckerkandl, não mais aplicado às obras de arte (ou seja, as músicas compostas e gravadas) , mas ao conceito da banda em si, que não se altera em sua proposta ainda que resulte em alterações siginificativas das obras produzidas, exigindo as mudanças citadas por você -reinvenções, escolha de novos membros (não sei ao certo quantos saíram por vontade própria ou quantos vocês tiveram de tomar a iniciativa de trocar, mas dá no mesmo), instrumentos , timbres, etc.- e simultaneamente , a inalteração de outras variáveis , que mantenham as mudanças sob um certo controle do conceito fundamental – este, ao que entendi, ainda é o maior motivador da existência e continuidade da banda.
    Em outras palavras, considere por um momento o Conceito da banda como uma ” obra de arte”, e a proposta de Zuckerkandl parece ser aplicável novamente , porém de uma forma mais dinâmica já que a banda é algo contínuo.
    Outra associação que fiz com o ensaio proposto foi com uma teoria que gosto muito que é a Sincronicidade, de Jung,(que certamente você conhece), e cuja parte que mais me fascina é que só se consegue enxergar os alinhamentos dos fatos isolados no tempo ou espaço e aparentemente casuais, e que resultaram em um evento significativo , após tal evento acontecer – e que , na maioria dos casos , bastaria que apenas um destes fatos isolados não acontecessem para que o evento fosse completamente diferente, ou não fosse significativo, ou sequer ocorresse ( exemplos são inúmeros e amplos, mas para citar dois: o aparecimento de vida no planeta Terra, e a composição de Smoke on the Water, na Suíça em 1971). Fiquei com a sensação que, de alguma forma, as propostas de Zuckerkandl e Jung , que em algum momento são até antagônicas, finalmente acabam convergindo – já que o artista busca algo que não sabe exatamente o que é, e só consegue de fato entender esta meta quando ela se concretiza. Óbvio que , dentre os fatos que se alinham, neste caso, estão a criatividade dos artistas, sua dedicação ao estudo de sua arte e sua motivação pessoal em expressar idéias ou sentimentos, e que portanto, nenhuma das obras de arte, músicas ( ditos eventos significativos) possam ser nem por um segundo consideradas “casuais” ou “acidentais”.
    Enfim, depois eu tomo um Gardenal para cessar as alucinações filosóficas que me acometeram…
    Diga um “oi” à Lorena, e melhoras ao Leandro. E ótimas sessões de gravações para vocês todos! Fernando Mattedi

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s