Lojísticas das turnês


Ciro,muito legal o diário..fiquei curioso com certas coisas…
1-Como fizeram com o koto? creio ser inviável levar do Brasil? aluguel? compraram e venderam? e para capta-lo nos diversos locais de show?vcs levavam um mic especial?
2- Vcs levavam um set completo de bateria ou apenas pratos/ caixa/ pedais? 3- Como acomodavam tudo (guits, amps, koto, batera, além de vocês) naquela van da foto? tem foto dela carregada? Não publique, venda como uma manual de “logística para turnes..”!
4-Como resolveram a queima do ampli do baixo? como acomodar o tempo de espera de um conserto mais a pressa de seguir para a próxima cidade?
5 e última: A van foi alugada ou foi comprada e depois vendida? Desculpe a saraivada de perguntas.. responda apenas às que quiser, claro.. abraços , Fernando (ex- Purpendicular, via formspring.me..)

Hmmm Várias perguntas legais, vamos por partes:

1) A Lorena tem um Koto que fica lá nos EUA na casa de parentes dela. Realmente seria impossível levar toda turnê um Koto, pq ele é muito longo, então ela comprou um lá. Para captação do Koto, tanto aqui no Brasil quanto nos shows nos EUA, nós acabamos optando por captadores de contato tipo de violão.

2) A bateria nós pegamos emprestado do cunhado do Lorena. O Rafa leva o essencial (pratos, caixa, ferragens, pedais, etc…) mas os tambores são dessa bateria emprestada.

3) Ahhhh isso era uma engenharia altamente calculada pelo Rafael e pelo Leandro. Eles bolaram uma ordem para colocar todo o equipamento, os intrumentos e as nossas malas que se não fosse respeitada não dava certo. Olha as fotos aí:

4) Na verdade o problema do ampli foi a queima de um fusível. O problema é que nós não sabíamos o porquê ele tinha queimado. Quando chegamos em Philadelphia conseguimos encontrar um cara que consertava, levamos o ampli lá na oficina dele e imploramos para ele examinar no mesmo dia. Ele foi bem gente fina e entendeu nossa emergência. Depois de examinar o ampli ele disse que o problema era que o transformador de saída estava quase queimando. Ele trocou o transformador e resolveu nosso problema em 3 horas.

5) Em nossa primeira turnê compramos uma Van junto com uma banda de amigos nosso. Era uma Van antiga que acabou quebrando diversas vezes e resolvemos que seria melhor vendê-la. Na segunda e terceira turnê chegamos a conclsão que era melhor alugar. Veja as fotos da nossa primeira Van:

About cirovisconti

Guitarrista do Diafanes, professor do Conservatório Souza lima e colaborador da Revista Guitar Player myspace.com/cirovisconti myspace.co
This entry was posted in Bate papo musical, Diafanes, Divulgação. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s